Como saborear o vinho

Eu conheço o Manuel a 22 anos, meu marido o conhece a mais ou menos 32...Ele é um amante de vinho que se dedicou a aprender. Agora faz disso a sua vida e passa grande parte do tempo em eventos vitivinícolas por toda a Europa.

Uma noite ele nos convida para a casa dele e o objectivo seria fazer uma prova de vinho verde branco. Nós e o outro casal chegamos lá achando que ia ser mais ou menos uma brincadeira e fomos já surpreendidos pela mesa. Em cada lugar,6 copos e uma ficha de avaliação com lápis...A partir desse dia temos aprendido muito com ele e com a nossa vontade de também saber mais.
E é aqui que o nosso vinho começa

Principalmente quando começa a esfriar temos feito entre amigos provas de vinho aqui em casa, onde analisamos uns tantos...Já fizemos provas de brancos,tintos,espumantes,verdes...


Vou então tentar passar o pouco que já aprendi, e quem tiver outras dicas, deixe nos comentários, assim, vamos todos aprender um pouco mais.
 A degustação, é onde temos a oportunidade de descobrir o que o vinho nos faz sentir. Na prova, estão envolvidos 3 dos nossos sentidos. Assim sendo, visão, olfato e paladar, são ferramentas necessárias para podermos fazer uma correta análise ao nosso vinho afinal vamos degustar e não beber...Beber é simples: basta passar o vinho da taça para a boca e dali direto para o estômago. Na degustação, esse caminho passa pelo cérebro e pelo coração. É preciso concentração, técnica, experiência, imaginação, memória e, principalmente, paixão.
PREPARAR A PROVA
-Copos apropriados
-Toalha de mesa branca ou clara
-Boa luz e ausência de cheiros e fumo
-Tapar os rótulo das garrafas,ADOROOOO,uma prova cega é mais emocionante
-Agua sempre disponível para beber entre provas
-Não comer durante a prova para não deturpar as sensações, pão e torradinhas na mesa
Durante a degustação, é indispensável que cada pessoa tenha um copo para cada vinho (ou encontrar uma forma de aclarar com água o copo para que a espera não resulte pesada entre vinho e vinho). A melhor opção é a de que cada um disponha de um copo para cada vinho, de forma que, uma vez degustado, o vinho possa ficar à disposição do convidado para o poder comparar com os vinhos seguintes. Eu pelo menos vou voltando a alguns ao provar outros apenas para me certificar do que escrevi e muitas vezes mudo a opinião. A prova é sempre composta por 3 fazes, visual, olfativa e gustativa

A ordem dos copos a ser provados

FASE VISUAL:
Inclinar a taça sobre um fundo branco, (Atenção a cor da toalha da mesa!) analise a tonalidade e a intensidade de cor. A cor que olhamos é a do centro da taça inclinada.
Verifique a fluidez girando a taça e o tempo que o líquido que escorre sob as paredes da taça (a isso chamamos lágrimas) leva para retornar ao repouso. Quanto maior a viscosidade e o tempo que leva para as lágrimas voltarem ao repouso, mais álcool o vinho possui. 
As lágrimas do vinho
Visualmente ainda têm o teste da limpidez, o vinho deve ser límpido (ausência de partículas em suspensão) e ter aspecto brilhante. Quanto a qualidade da cor...siga seus instintos;)podem ser esverdeado, amarelo, dourado e castanho, para os vinhos brancos e rubi, granada, tijolo e castanho, no caso dos vinhos tintos.
FASE OLFATIVA:
Essa é a minha preferida! Desde sempre gostei de cheiros e consigo identificar alguns bem diferentes.Deve-se primeiro cheirar o vinho com o copo imóvel (pousado na mesa) para apurar os seus cheiros mais delicados, e só depois agitar o copo para libertar as suas moléculas mais pesadas.
Procure associar os aromas as coisas que você conhece (frutas, flores, especiarias, minerais) e é mais fácil. Para ser um bom degustador, é preciso imaginação e memória.
No vinho há 3 tipos de aromas, o primário, que sentimos ainda com o copo na mesa, é o aroma da uva. O secundário é o aroma resultante da fermentação, nos brancos lembram frutas frescas nos tintos, frutas vermelhas, secas e especiarias. O aroma terciário resulta do envelhecimento do vinho e podem ser tão variados e estranhos como couro, suor, pedra, baunilha, capim, louro...
 Ok,estamos aqui com tanta conversa e nada de provar...pois é agora chegou !
O modelo que usamos para as notas

FASE GUSTATIVA :
Apesar de ser a fase mais aguardada de uma prova de vinhos, também é considerada, por muitos, a mais difícil! 
"Inspire pela boca, fazendo o ar atravessar o vinho e expire pelo nariz "
Isso foi das coisas mais difíceis que me disseram para fazer, e logo na minha primeira prova! Serve para juntar as informações obtidas pelo nariz e agora pela prova gustativa pela boca...
É o sabor que fica na boca, quando expiramos pelo nariz e ainda temos o vinho na boca, ou quando o acabámos de engolir, entenderam?
Pensa que um gole é um gole? Não é não! Um gole numa prova tem que fazer a nossa língua “trabalhar”. A língua está recheada de papilas gustativas – na ponta estão os sensores da doçura, um pouco mais atrás estão os receptores da salinidade, o nível de acidez é sentido dos lados da língua e o amargor na zona posterior – daí a importância de movimentar o vinho de um lado da boca para o outro. Com o vinho na boca, é a hora do tal teste aí de cima, tentem ;)
Outra coisa muito importante é a persistência - tempo que as sensações agradáveis levam a desaparecer. Quanto mais longo, melhor será o vinho. Há vinhos que “engoliu, sumiu” e outros que ficam…
Após a degustação, é a hora de servir o jantar e aproveitar a conversa, o vinho que ficou em cada garrafa, comparar notas, e ver que muitas vezes o vinho com melhor pontuação é dos mais baratos e que um vinho bastante caro pode ser uma desilusão…
Guardo quase todas as minhas notas das provas

Espero que a vossa próxima garrafa seja aberta e saboreada de maneira diferente!
Pode ver outras dicas clicando AQUI, e AQUI
Para saber as listas dos 100 melhores vinhos de 2013 segundoduas conceituadas revistas sobre vinhos,veja AQUI e AQUI.Numa das listas 6 portugueses e em outra 4.

Mensagens populares