21 agosto 2015

Como o Brasil não trata as suas crianças

O Brasil pretende diminuir a maioridade penal

Sabemos que nem todas as crianças recebem o amor e cuidado que precisam de seus cuidadores. Em Natal, Rio de Janeiro, São Paulo, eu estava acostumada a passar por elas, as crianças de rua. Na maioria das vezes achava que eram "pivetes" nome dado no Brasil aos filhos de mendigos, crianças marginalizadas, geralmente habitantes de favelas os órfãos de decadência social.

Estavam nas ruas porque não queriam ir pra escola(Ou porque não há escola?)Estavam nas ruas porque seus pais eram drogados e não tinham usado anticoncepcional(Ou porque não há um sistema de saúde publica decente?) Eu achava que era uma escolha. Nessa época eu não entendia. Eu ainda não era mãe. 

Onde estão os pais desses pivetes para tirá-los da rua? Será que eles também foram crianças esquecidas? De quem é a responsabilidade afinal? 
Nossa.
Minha e sua.

Acredito que a sociedade é responsável pelas crianças esquecidas pela vida. Não estou sugerindo que  troque seu cachorro por uma criança pobre. Cabe ao cidadão cobrar do governo serviços que realmente funcionem para essas crianças. Cabe ao cidadão exigir que tal lei de redução da maioridade penal não seja aprovada. 

Acredito que uma criança desamparada pode fazer péssimas escolhas na vida e percorrer caminhos tortuosos que geram sofrimento, mas justamente por ainda ser jovem tem mais chances de reabilitação. Isso se alguém lhe der o cuidado e carinho que faltou. Se alguém lembrar que ele existe. Se alguém servir de exemplo e demonstrar uma outra possibilidade de vida. Jogá-lo na prisão é esquecimento. É colocar a criança na bóia para que o vento leve embora, dessa vez sem resgate. 


VEJA AQUI 18 MOTIVOS CONTRA A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL https://18razoes.wordpress.com/quem-somos/


Dados da UNICEF:

Aproximadamente uma em cada quatro crianças de 4 a 6 anos estão fora da escola. 64% das crianças pobres não vão à escola durante a primeira infância.Cerca de 60 mil crianças com menos de 1 ano são desnutridas.
O Brasil ainda tem 535 mil crianças entre 7 e 14 anos fora da escola, das quais 330 mil são negras.
 A cada dia, 129 casos de violência psicológica e física, incluindo a sexual, e negligência contra crianças e adolescentes são reportados, em média, ao Disque Denúncia 100. Isso quer dizer que, a cada hora, cinco casos de violência contra meninas e meninos são registrados no país. Esse quadro pode ser ainda mais grave se levarmos em consideração que muitos desses crimes nunca chegam a ser denunciados.

(http://www.unicef.org/brazil)