Conhecer Lisboa

Roteiro de 3 dias para quem  vem de fora, não conhece, nunca visitou e quer visitar a cidade de Lisboa assim vai conseguir ver o que há de mais interessante. Mas é claro que pode adaptá-lo de acordo com o seu tempo de viagem ou interesses.

DIA 1 – CENTRO HISTÓRICO DE LISBOA

Nota: Este é o dia com mais lugares para visitar, portanto se tiver mais tempo disponível poderá fazer este percurso em dois dias.


Aconselho começar o passeio pelo Parque Eduardo VII. 
Vale a pena subir a colina e chegar até à parte de cima do parque para ter uma vista privilegiada do mirante sobre toda a cidade de Lisboa. Daí conseguirá ver a estátua do Marquês de Pombal (responsável pela reconstrução da cidade depois do Grande Terramoto de 1755);  o Castelo de São Jorge; o famoso Bairro Alto; e ao fundo o Rio Tejo!


Depois desça até a rotunda do Marquês de Pombal e prepare-se para uma caminhada pela Avenida da Liberdade, a principal da cidade.Não custa muito pois é uma descida.
Na Avenida da Liberdade estão as lojas de grandes marcas como Emporio Armani, Luis Vuitton, Prada... O percurso pela Avenida da Liberdade (até à Praça dos Restauradores) tem pouco mais de um quilómetro e é uma caminhada muito agradável. Em alternativa à caminhada, pode apanhar o metro na estação de Marquês de Pombal e descer na estação dos Restauradores.
Chegamos assim a Praça dos Restauradores, que tem um grande obelisco erguido para celebrar a libertação de Portugal do domínio espanhol em 1640, daí o nome Restauradores (da Liberdade e da Independência). Nesta praça está também o famoso Hard Rock Café Lisboa, o Antigo Teatro Eden e o Elevador da Glória.Se der fome a dica é comer no Restaurante Pinoquio.

Apanhe o Elevador da Glória, que é um eléctrico(bonde) que faz o trajecto colina acima, muito íngreme, ligando assim a “baixa lisboeta” ao Bairro Alto. Este “elevador” foi construído em 1885 e funciona até hoje, por isso é uma experiência tipicamente Lisboeta.

Saindo do elevador, vire logo à sua direita. Está no Jardim e Miradouro de São Pedro de Alcântara, onde terá uma vista magnífica sobre a baixa lisboeta e o espaço é excelente para um merecido descanso.

Saindo do miradouro, entre pela rua estreita logo atrás do Jardim (Travessa da Cara).
Bem-vindo ao Bairro Alto, um dos bairros mais antigos de Lisboa.




 Durante o dia o Bairro Alto é muito calmo e lá vai encontrar algumas lojas mais “alternativas”, desde roupas, lojas gourmet, cabeleireiros, cafés, etc. À noite, se ainda tiver energia, o Bairro Alto é uma excelente experiência para se ir . Está sempre cheio, principalmente quando se aproxima o fim-de-semana. Para além disso, o Bairro Alto é um lugar onde se tiram excelentes fotos, pois representa a Lisboa antiga, com os velhos candeeiros na rua, as roupas estendidas do lado de fora das casas e os prédios centenários no meio das suas estreitas ruas de pedra batida.

Dentro do Bairro Alto não há só um caminho a seguir. Deixe-se perder para conseguir encontrar algo de novo.
É uma experiência que cada um constrói de acordo com os interesses. Aconselho é que siga sempre a descer qualquer uma destas ruas irá levá-lo para “fora” do Bairro Alto directamente para a Praça Luís de Camões.
É um excelente sítio para quem gosta de ver e tirar fotos dos típicos eléctricos.

Um quarteirão abaixo da Praça de Camões (basta atravessar a rua seguindo o fluxo dos turistas) encontrará o Largo do Chiado. Um dos espaços mais míticos da cidade de Lisboa. É aqui que encontrarão a estátua do poeta António Ribeiro, homenageado nesta Praça; o mais famoso café lisboeta: a Brasileira ; e a estátua em bronze do escritor Fernando Pessoa, que era presença constante . 
Continue a descer pela Rua Garrett e na segunda rua logo abaixo do Largo do Chiado vire à esquerda (Calçada do Sacramento). A subida é um pouco íngreme, mas vai chegar directamente ao Largo do Carmo. Neste largo estão as ruínas do Convento do Carmo, construído no século XIV, que foi parcialmente destruído pelo Grande Terramoto de 1755 e onde se encontra actualmente o Museu Arqueológico do Carmo.

Siga pela calçada ao lado do convento e que dá acesso ao Elevador de Santa Justa,este Elevador foi inaugurado em 1902 e tem cerca de 30 metros de altura.  O Bilhete do elevador de Santa Justa inclui o acesso ao Mirante.


Após descer do Elevador já estará na Rua de Santa Justa. Siga em frente e depois de dois pequenos quarteirões vai cruzar a Rua Augusta, a famosa rua que foi, durante séculos, a principal entrada de Lisboa e tem na sua extremidade o Arco da Rua Augusta. A Rua tem uma elevada concentração de comércio, com diversas lojas de souvenirs e de grandes marcas internacionais.

Virando à esquerda, no sentido contrário ao arco, vamos em direcção à Praça do Rossio. Esta grande Praça chama-se na realidade Praça de D. Pedro IV, destaca-se pelas suas duas grandes fontes de água (uma de cada lado), a imponente estátua de D. Pedro IV e pelo seu piso em padrões de ondas feito em pedras pretas e brancas. No lado norte da praça fica o Teatro Nacional D. Maria II, filha de D.Pedro,que foi Pedro I do Brasil.

Ao lado esquerdo do Teatro D. Maria II está a incrível Estação Ferroviária do Rossio. Quem a vê por fora não imagina que lá dentro existam seis linhas de comboio. Mas existem!

De volta à Praça do Rossio, repare que ao atravessar a rua (em frente à saída de metro Rossio) existe uma que atravessa entre os prédios (mesmo ao lado da Pastelaria Suíça). Ao atravessar por este caminho sairá na Praça da Figueira.

Esta praça foi um Hospital antes do grande Terremoto. Nos anos 50, deu origem à actual praça da Figueira com a sua estátua de D. João I, montado no seu cavalo (sempre cheio de pombos empoleirados no pedestal da estátua). Num dos lados desta praça está ainda a Cafetaria Nacional, fundada em 1829 e pertence à mesma família há cinco gerações (até aos dias de hoje), com toda a doçaria tradicional portuguesa. Uma boa experiência gastronómica.

A partir daqui vamos entrar em Alfama (o bairro mais antigo de Lisboa), para chegar ao Castelo de São Jorge. Para lá chegar existem 3 hipóteses.
A primeira é ir no autocarro nº 737, que o leva directamente até ao Castelo.
A segunda opção é ir no típico eléctrico nº 12 (bonde)e o vai deixar muito próximo do Castelo.
A terceira e última opção não é para os fracos!Os mais corajosos que queiram se aventurar pela subida da colina a pé e desbravar Alfama em direcção ao Castelo. Aviso desde já que é puxado, principalmente se for no verão.

Seja qual for a sua escolha, pelo caminho passará ainda pela Igreja da Sé de Lisboa, mandada construir em 1150. Aqui foi baptizado Santo António. Quem tiver interesse poderá descer e conhecer a Igreja por dentro.

Chegamos ao Castelo de São Jorge.
A vista do alto do Castelo é fantástica e poderá tirar fotos com estátuas, canhões e ter acesso ao alto das torres.


Termina aqui o 1º dia de passeio (ou dos dois primeiros dias, caso tenha tempo para fazer tudo com mais calma)!

Continua...
 

Mensagens populares